Sistema de monitoramento preditivo de barragens de rejeitos

Projeto: Sistema de monitoramento preditivo de barragens de rejeitos

O problema de monitoramento de barragens é crítico para o setor mineral no Brasil, especialmente em Minas Gerais, onde existem mais de 700 barragens de rejeitos. Ficou claro após o desastre da Samarco que os métodos de avaliação da estabilidade de barragens não atendem as necessidades do setor de mineração, pois são caros e não garantem um bom nível de predição.

A barragem de Fundão, por exemplo, era classificada como de "estabilidade garantida" e era controlada pela mineradora mais premiada do Brasil. Surgem as seguintes dúvidas:
1. Se aconteceu com a Samarco em uma barragem estável, qual o risco de acontecer com outras barragens?
2. Se a manutenção de uma barragem for descontinuada, o risco de ruptura aumenta?
3. Se as restrições à mineração tornarem a extração inviável e as mineradoras falirem, quem assumirá a responsabilidade pelas barragens existentes?
4. Como compatibilizar a necessidade de maior nível de segurança nas barragens e não afetar a competitividade da mineração?

O NAP.Mineração/USP atua em parceria com o IAG/USP na pesquisa de novos métodos para diagnosticar a presença de água nas estruturas e, desta forma, identificar precocemente a ocorrência de pontos de fraqueza na estrutura do barramento. Estamos participando de um projeto para desenvolver um novo sistema de monitoramento de estruturas de barragens utilizando o método de eletrorresistividade. Este projeto visa a integração de vários sistemas utilizados, com métodos geofísicos e tecnologia IoT, buscando melhorar a qualidade do monitoramento e o nível de predição, reduzindo os custos associados.

 

 

  • Tipo de Projeto: Pesquisa Aplicada
  • Agência de Fomento: EMBRAPII
  • Data de Início: Julho/2017
  • Status: em andamento

 

 

Especificações

  • Responsável: Geol. Alexandre Passos, MSc
  • Data de Início: 01/01/2017
  • Data de Fechamento: 31/07/2018